10 de ago de 2011

A conturbada obra e vida de Sylvia Plath



A perturbadora obra de Sylvia é reconhecida por um traço extremamente fatalista, marcado principalmente depois da turbulenta relação com o poeta Ted Hughes, pai de seus filhos. O vigor de seus poemas contrastava com sua aparente elegância. Em poucos poetas a vida pessoal é tão ligada à obra, ao ponto de ser impossível dissociar uma coisa da outra.


Abaixo, um poema que explica bem esse lado melancólico de Sylvia Plath:


"Palavras"

Golpes
De machado na madeira,
E os ecos!
Ecos que partem
A galope.
A seiva
Jorra como pranto, como
Água lutando
Para repor seu espelho
Sobre a rocha
Que cai e rola,
Crânio branco
Comido pelas ervas.
Anos depois, na estrada,
Encontro
Essas palavras secas e sem rédeas,
Bater de cascos incansável.
Enquanto do fundo do poço, estrelas fixas
Decidem uma vida.





"Tragédia em família"

(Sylvia Plath se matou em 1963, quando tinha 30 anos. Ela colocou os filhos para dormir – Nicholas estava com 1 ano, e Frieda, com 2 – e lhes deixou leite e pão, selando o quarto para que eles não respirassem o gás que a mataria.)

Nicholas Hughes, filho da poeta americana Sylvia Plath, seguiu os passos da mãe e se suicidou. Nicholas não suportou a depressão e se enforcou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário