2 de set de 2011

A Troca de batons de Angelina Jolie de época


A Troca (Changeling, 2008) se baseia em um caso real ocorrido entre 1928 e 1930 e é dirigido por Clint Eastwood. O filme todo é bem classicista e mostra através de Jolie uma feminilidade que parece flutuar diante dos outros personagens tão carrancudos e apáticos.
O vermelho do batom dela, contrastando com a falta de cor dos paletós masculinos, é de uma agressividade febril, como se fossem alienígenas uns aos outros.
E é sobre esses tons de batons usados pela personagem sofrida de Jolie que vamos falar hoje.....embora o filme não se resuma nos lábios carnudos e hipnotizadores de Angelina, o longa é ótimo e vale á pela ser visto.



Nas cenas mais leves, Angelina usa um vermelho vibrante e bem aberto, que serve para iluminar o seu rosto e passar uma mensagem menos tensa.






Da metade pro final do história, quando começa a aparecer toda a falcatrua da polícia de L.A no caso do filho perdido de Jolie, ela aparece com um dois tons de batons: Para as cenas externas um vinho mais aberto e menos pesado. Já as cenas filmadas em interrogatórios e no julgamento, o tom é puxado para um vinho bem fechado, bem escuro, retratando bem as mulheres dos anos 20 que usavam muito esse tom de batom mais escuro e seus inseparáveis chapéus " Cloche" cobrindo o cabelo curto que elas usavam.







Nas cenas em que a mãe estava em casa com seu "falso" filho, o tom é sempre um tom rosinha, no caso usado pra evidenciar a feminilidade da personagem.



Nenhum comentário:

Postar um comentário